Por Doutor Roberto Moretti Secomandi

Ao fazer o seu check-up médico anual, você deve ter lembrado de tudo que ouviu falar sobre colesterol, certo? Se o resultado dos seus exames apontar que o colesterol está com níveis elevados, é preciso entrar em alerta. Mas você sabe tudo sobre esse assunto? Para esclarecer todas as dúvidas e não cair numa cilada que pode custar a sua saúde, elenco, a seguir, 6 motivos para se atentar às doenças do colesterol ruim.

1) A dislipidemia não representa somente colesterol alto
Ela é a alteração do metabolismo das lípides presentes nos colesteróis e nos triglicérides, causando aumento da gordura no sangue. A hiperlipidemia é a doença que se dá por conta do aumento dos níveis de colesterol ou triglicerídeos no organismo.

2) Fatores genéticos e comportamentais podem levar ao problema
Os fatores genéticos da obesidade provocam doenças mais graves e, geralmente, estão associados ao nível muito alto de colesterol e triglicérides. Pessoas com diabetes tipo 2, normalmente pacientes idosos, podem apresentar Síndrome Plurimetabólica e, nesses casos, também pode haver associação com o problema. Já os fatores ambientais são os que vemos com frequência na população como sedentarismo, tabagismo, alimentação inadequada e o excesso de ingestão de álcool, por exemplo. E pode acontecer com gente de qualquer idade, mesmo jovens podem apresentar colesterol extremamente alto.

3) A dislipidemia pode causar doenças circulatórias
O excesso das lípides do colesterol participa da aterosclerose, a doença que obstrui as artérias e pode causar complicações como infarto do miocárdio e derrame cerebral.

4) O tratamento começa com a mudança de hábitos
Ao nos depararmos com um paciente com hiperlipidemia, propomos atividade física e dieta adequada, levando em consideração as particularidades de cada paciente.

5) Existem níveis muito graves da dislipidemia
Se o paciente sabe que tem doenças coronariana e arterial comprovadas ou se seu exame cardiológico mostra sinais de obstrução coronariana, ele, obrigatoriamente, precisa ser tratado com medicações específicas. A medicação, além de diminuir o colesterol do sangue, atua no endotélio do vaso, diminuindo inflamações e, consequentemente, diminuindo a formação de placas de ateroesclerose.

6) O colesterol não é uma doença
O colesterol é necessário para manter uma boa saúde. O nosso corpo produz substâncias importantes a partir dele como os hormônios, vitamina B e os sais biliares. O importante é ter um valor adequado, porque níveis baixos também são prejudiciais. É comprovado que o paciente com colesterol muito baixo apresenta maior predisposição para doenças neurológicas, doenças demenciais, depressão, porque o colesterol atua na formação da membrana das células nervosas. A falta de colesterol na mulher prejudica a produção de estrogênio e progesterona e induz o corpo a uma menopausa precoce. O mesmo acontece com o homem, sem produção de testosterona, ele terá andropausa precoce. Portanto, procure sempre seu médico mediante qualquer alteração nos níveis de colesterol e triglicérides.

CRM: 128.541

● Graduação: Universidade Severino Sombra
● Especialização em Cardiologia pelo Hospital Beneficência Portuguesa
● Membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia
● Membro da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo